"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

fevereiro 18, 2013

CEGUEIRA GENERALIZADA! NO brasil maravilha dos FARSANTES E GERENTONA FALSÁRIA(QUEBRA 1,99) : Estudo mostra que saúde pública no Brasil tem 1,1 médico para cada mil habitantes e que Lula(ALÉM DE CAHACEIRO) é mitômano


 http://4.bp.blogspot.com/_o4b33fhG7wA/TPg0VxVLVmI/AAAAAAAAMSA/gBIMhxeebuk/s200/100920dilmagettyimage.jpg

Jamais o Brasil viveu um período de descaso e mentiras oficiais como nos últimos dez anos. 

Lula, que insiste em participar da história como a personificação da mentira, é um mitômano incorrigível, ungido diariamente pelos incautos como a derradeira solução do planeta.

E coube ao ex-metalúrgico deflagrar esse tsunami de mentiras que devasta o País.
http://2.bp.blogspot.com/_k3IKh79wICM/TRzcnCqZ0fI/AAAAAAAAIUw/F56BV-B9s1M/s1600/Lula_mentiroso6.jpg
Em meados de 2006, quando se preparava para a campanha à reeleição, o então presidente disse, sem qualquer esboço de rubor facial, que a saúde pública no Brasil estava a um passo da perfeição. Uma das maiores mentiras vociferadas nos últimos tempos, pois a realidade do setor continua provando o inverso.

Pessoas morrem na fila dos hospitais à espera de atendimento médico ou padecem em suas próprias casas enquanto aguardam o agendamento de uma cirurgia.

A saúde pública só não está em piores condições porque a saúde privada, que também capenga por um causa de repentina enxurrada de associados, consegue, mesmo que em condições questionáveis, fazer o que o Estado não consegue.

De acordo com o estudo “Demografia Médica no Brasil, a taxa de médicos no Sistema Único de Saúde, que Lula classificou como barato e eficiente, é metade da média registrada no País. Coordenado por Mário Schefer, o trabalho, que teve os resultados divulgados nesta segunda-feira (18), aponta que nos serviços públicos de saúde a razão é de um 1,11 médico para cada mil habitantes, enquanto a relação geral é de 2 para cada mil.

Ou seja, a medicina privada participa nesse cenário com 3 médicos para mil habitantes.

O assunto já foi largamente noticiado e detalhado pelo ucho.info, mas as autoridades federais preferem anunciar medidas pirotécnicas para esconder a verdade. Pouco resolve o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, anunciar que a partir de agora decidirá onde serão abertas novas faculdades de Medicina no País, se o médico não encontrar situação econômica condizente que o faça permanecer em sua cidade ou em seu estado.

Trata-se de uma questão óbvia, mas que o governo federal tem uma enorme dificuldade para enxergar. Para se ter ideia do desequilíbrio demográfico de médicos no País, a cidade de São Paulo tem um médico para cada 260 habitantes. Isso se dá porque em São Paulo, assim como em outras importantes capitais, as possibilidades de ganho são maiores.

A maior concentração de médicos no Brasil se dá nas regiões Sul e Sudeste.

O segredo não está em limitar a criação de faculdades de medicina em determinadas regiões, mas em fazer com que os mercados carentes de médicos sejam atrativos financeiramente para esses profissionais.

Do contrário, o Brasil continuará sendo vítima de êxodo de profissionais, que buscarão nos grandes centros as oportunidades que o restante do País não proporciona. 

Link para esta matéria: http://ucho.info/?p=65794 

PETEBRAS confirma vazamento na Bacia de Campos, no Norte do RJ

http://3.bp.blogspot.com/_FDTr4yBT4B0/S6AJ33axmDI/AAAAAAAAAss/Yb-bq2-z8yE/s400/gota-de-petroleo.jpg
A assessoria da Petrobras divulgou na manhã desta segunda-feira (18) informações sobre um vazamento na área de operação da Plataforma de Pampo (PPM-1), na Bacia de Campos. Um funcionário da Petrobras, que não quis se identificar, entrou em contato com o G1 para denunciar o vazamento, que segundo ele, acontece desde a última sexta-feira (15).

Outro funcionário da Petrobrás, que também não quis se identificar, também comentou o caso. Segundo ele, o vazamento no fundo do mar, dificulta a identificação do local exato. “Quando o vazamento é na plataforma o problema pode ser solucionado rápido, mas quando é no fundo do mar é mais difícil porque a gente só percebe quando a mancha aparece na superfície”, disse o funcionário.

O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense, Sindipetro NF, emitiu uma nota sobre o caso neste domingo (17) e afirmou que a plataforma interrompeu a produção para verificar a situação do vazamento. Ainda segundo a nota, o acidente seria de 'pequenas proporções' com o derramamento de cerca de 30 litros e inicialmente a empresa teria informado que estancou o vazamento, mas como uma nova mancha foi encontrada, foi determinada a parada de produção para verificar as causas e a abrangência do problema.

O Sindicato questiona o fato de a Petrobras não ter conseguido identificar a origem do vazamento. “Denunciamos, há bastante tempo, as condições da integridade das plataformas, associadas ao problema de efetivo. Sem falar que a empresa não detectou de onde está saindo esse vazamento. Isso é preocupante. E se é um problema intermitente, pode ser sanado agora, mas dentro de algum tempo pode retornar”, afirmou o presidente da entidade José Maria Rangel.

De acordo com a Chefe de Fiscalização do Ibama no Rio de Janeiro, Maria Lea Xavier, a divisão técnica do Rio, bem como a sede do Ibama em Brasília não recebeu nenhum comunicado oficial da Petrobras. “Pela norma, a Petrobras tem obrigação de comunicar a todas as instâncias, inclusive a coordenação de emergência e a nós aqui no Rio de Janeiro, o que não aconteceu. Essa falta de comunicação pode acarretar em multa, de acordo com a legislação”, explicou.

Ainda segundo a chefe de Fiscalização, o volume de material derramado ainda não foi confirmado oficialmente. “Tomamos conhecimento de que inicialmente houve o derramamento de 10 litros de água oleosa. Em seguida, o sindicato informou que 30 litros teriam vazado. Vamos solicitar um relatório, fazer a avaliação e tomar as medidas administrativas cabíveis”, disse.

Ainda na tarde desta segunda-feira (18), a Petrobras encaminhou uma nota oficial ao G1 sobre o caso, confirmando que houve vazamento de 40 litros no fim de semana e que, por isso, houve uma parada na produção como medida de precaução. A nota afirma que na segunda (18) não foi observada mais nenhuma mancha de óleo no mar, que a produção da Plataforma de Pampo foi restabelecida e a causa do problema está sendo analisada.

 Segue resposta oficial da Petrobras na íntegra: 

 A Petrobras informa que foi detectada mancha de óleo próxima à Plataforma de Pampo, na Bacia de Campos, a 113 Km da costa do Rio de Janeiro, cujo volume estimado de óleo foi de 30 litros no sábado, dia 16 de fevereiro e de outros 10 litros no domingo, dia 17.

Conforme padrão operacional para esse tipo de ocorrência, a Petrobras deslocou embarcações especializadas em combate à poluição e em inspeção submarina, além de aeronaves para sobrevoar o local. Acionou, também, o Plano de Emergência Individual de Pampo e o Plano de Emergência para vazamento de óleo da Bacia de Campos. 

Como medida de precaução, a companhia interrompeu temporariamente a produção da Plataforma de Pampo. A mancha de óleo foi dispersada mecanicamente pelas embarcações especializadas, sem a necessidade de qualquer outro método de combate à poluição.

Hoje, dia 18, não foi observada mais nenhuma mancha de óleo no mar e a produção da Plataforma de Pampo foi restabelecida. A causa do vazamento está sendo analisada e as autoridades competentes foram comunicadas.

Carolina Burgos e Priscilla Alves do G1 Norte Fluminense

E NA CASA DA CONCUPISCÊNCIA E NULIDADES... Câmara quintuplica para R$ 44,4 milhões os gastos com horas extras

 http://3.bp.blogspot.com/_2brU-Bim4ZY/TOh2B7kd4AI/AAAAAAAAAK4/dzRIjTXeV9c/S1600-R/skull-brazil-flag.jpg
Enquanto o Senado diminuiu drasticamente as despesas com horas extras em 2012, a Câmara dos Deputados gastou, no mesmo período, cinco vezes mais — desembolsou R$ 44,4 milhões em benefício de seus funcionários que fizeram serviço extraordinário. 

 O dinheiro excedente engorda os já supersalários das categorias da Casa, que estão ainda maiores desde janeiro, com a entrada em vigor do novo plano de cargos, que concederá, até janeiro de 2015, aumentos de mais de 50%.

O desembolso do Senado com horas extras passou de R$ 42,4 bilhões, em 2010, para cerca de R$ 7,5 milhões, em 2011, e R$ 8 milhões, no ano passado. O valor destinado pela Câmara em 2012, por sua vez, é igual ao de 2010, porém, abaixo do total liberado em 2011, de R$ 69,4 milhões. 

A justificativa da Casa é que houve mais sessões deliberativas, nas quais os servidores teriam trabalhado mais de oito horas por dia, com intervalo para o almoço, ou mais de seis horas corridas.

Ana D'Angelo - Correio Braziliense

Fortuna do homem mais rico do Brasil chega a US$ 19,9 bilhões

O empresário - ex-surfista e ex-jogador de tênis profissional - Jorge Paulo Lemann é o brasileiro mais rico do mundo.

Segundo o ranking diário da Bloomberg, o bilionário brasileiro de 73 anos é o 36º homem mais rico do mundo, com fortuna estimada em US$ 19,9 bilhões.Nesta semana, Lemann, que é sócio da cervejaria AB Inbev e do Burguer King, anunciou a compra - juntamente com o bilionário Warren Buffett - da marca de catchup Heinz.

Lemann já tinha o posto de homem mais rico do Brasil antes de a transação ser concluída - essa compra apenas o deixou ainda mais rico. 


O posto de brasileiro mais rico do mundo já foi ocupado pelo empresário Eike Batista, que atualmente figura como o 100º homem mais rico do mundo - e o quarto mais rico do País. A fortuna de Eike está estimada em US$ 10,8 bilhões.  
No ano passado, após ver a OGX liderar as perdas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), Eike viu a sua fortuna despencar e fechou o ano na 93ª colocação, com US$ 11,4 bilhões de fortuna.

O dono da OGX já foi considerado o sétimo homem mais rico do mundo pela Forbes, mas perdeu posições graças aos maus resultados de suas empresas. 


Na segunda posição no Brasil está a brasileira Dirce Camargo - que controla a Camargo Correa e também tem participações em CCR, CPFL e Cimpor - com US$ 14,3 bilhões.

A terceira colocação fica com o banqueiro Joseph Safra, que possui US$ 12 bilhões.

SEM "MARQUETINGUE" ! NAS MÃOS DOS FARSANTES E FALSÁRIA... Trabalhador que investiu FGTS na Petrobras(PETEBRAS) perdeu 11,89% em 2013


http://3.bp.blogspot.com/_yijt8GXoKLA/TOLHjxX5P9I/AAAAAAAANbA/9mShJv7_Lmc/s320/lula-dilma-petrobras-div-hg1.jpg
Os trabalhadores que compraram ações da Petrobras com o saldo proveniente do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) já perderam 11,89% em 2013, de acordo com informações publicadas nesta segunda-feira pelo jornal O Estado de S.Paulo.

Conforme a publicação, o desempenho ruim já é quase igual ao de todo o ano de 2012, quando a queda chegou a 14,1%. Os dados são da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capital (Ambima).

O jornal afirma que a rentabilidade do FGTS da Petrobras acompanha a rentabilidade ruim dos papeis da empresa no mercado financeiro.

As ações preferenciais da companhia caíram 9,48% enquanto as ordinárias recuaram 19,59% em 2013.

Em 12 meses, a queda foi de 22,33% e 35,42%, respectivamente.

E O brasil maravilha DOS FARSANTES E "GERENCIADO" PELA FALSÁRIA(QUEBRA 1,99) : Analistas reduzem projeção de crescimento para 2013 e 2014


http://4.bp.blogspot.com/-3M_bCzCCCAs/Tf_L4JyRuqI/AAAAAAAAGU4/BCP1fp52OyU/s1600/m%25C3%25A1scara.jpg
A previsão de crescimento da economia brasileira em 2013 recuou de 3,09% para 3,08%, na pesquisa Focus divulgada na manhã desta segunda-feira, 18, pelo Banco Central.

Para 2014, a estimativa de expansão caiu de 3,80% para 3,65%.
Há quatro semanas, as projeções eram, respectivamente, de 3,19% e 3,60%.

Quanto ao crescimento do setor industrial em 2013, a projeção caiu de 3,10% para 3,00%.

Para 2014, economistas preveem avanço industrial de 3,50%, ante 3,70% da pesquisa anterior. Um mês antes, a Focus apontava estimativa de expansão de 3,24% para 2013 e de 3,90% em 2014 para o setor.

Analistas elevaram ainda a previsão para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB em 2013 de 34,25% para 34,50%.

Para 2014, a projeção subiu de 33,00% para 33,10%.
Há quatro semanas, as projeções estavam em, respectivamente, 34% e 33% para esses dois anos.

A previsão de que a taxa básica de juros (Selic) fique nos atuais 7,25% ao ano até o fim de 2013 foi mantida. Para o fim de 2014, a mediana das projeções segue em 8,25% ao ano há oito semanas. Já a projeção para Selic média em 2013 segue em 7,25% ao ano.

Para 2014, subiu de 8,23% para 8,25% ao ano, ante 8,10% há quatro semanas.

Preços

A projeção de inflação medida pelo IPCA para 2013 caiu de 5,71% para 5,70%. Há quatro semanas, a estimativa estava em 5,65%.

Para 2014, a projeção segue em 5,50% há 14 semanas. A projeção de alta da inflação para os próximos 12 meses subiu de 5,49% para 5,53%, conforme a projeção suavizada para o IPCA. Há quatro semanas, estava em 5,56%.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, o chamado Top 5 da pesquisa Focus, a previsão para o IPCA em 2013 no cenário de médio segue em 5,70%.

Para 2014, a previsão dos cinco analistas segue em 6,50%, teto da meta de inflação. Há um mês, o grupo apostava em altas de 5,58% e de 5,85% para cada ano, respectivamente.

Câmbio

A projeção para a taxa de câmbio no final de 2013 recuou nas estimativas dos analistas consultados na pesquisa Focus, realizada pelo Banco Central.
Para o fim deste ano, a mediana das projeções caiu de R$ 2,03 para R$ 2,02. Quatro semanas antes estava em R$ 2,08.

Para o fim de 2014, segue em R$ 2,05.
Há quatro semanas estava em R$ 2,09.

Transações correntes

O mercado financeiro reduziu a previsão de déficit em transações correntes em 2013 e 2014. Pesquisa semanal Focus mostra que a mediana das expectativas de saldo negativo na conta corrente este ano caiu de US$ 64 bilhões para US$ 62,65 bilhões. Há um mês, estava em US$ 63 bilhões.

Para 2014, a previsão de déficit nas contas externas caiu de US$ 69,37 bilhões para US$ 68,73 bilhões.

Na mesma pesquisa, economistas reduziram a estimativa de superávit comercial em 2013 de US$ 15,50 bilhões para US$ 15,20 bilhões. Quatro semanas antes, estava em US$ 15,43 bilhões.

Para 2014, a projeção passou de US$ 16,00 bilhões para US$ 15,60 bilhões. Há quatro semanas, essa estimativa estava em US$ 15,00 bilhões. 


Eduardo Cucolo, da Agência Estado