"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

outubro 21, 2011

PETROBRAS SEM "MARQUETINGUE" : Plataforma P-35 é interditada pelo Ministério Público do Trabalho, diz Sindipetro-NF

http://2.bp.blogspot.com/-RJpJ_dmGLU4/TfY-GAfvI1I/AAAAAAAABo8/5g-2o2W2wCg/s1600/precariza%25C3%25A7%25C3%25A3o.jpg
O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) informou que a plataforma P-35, situada na Bacia de Campos, foi interditada por risco de vazamento de gás.
Segundo o sindicato, o Ministério Público do Trabalho (MPT) constatou na quinta-feira condições de risco no sistema de gás inerte, desde a sua geração até os insufladores nos tanques, por conta do vazamento de monóxido de carbono, e no tanque SLOP de água produzida, por conta do H2S.

A empresa, entretanto, afirma que desde o dia 7, a plataforma estava em parada programada de manutenção e agora está em retomada de produção.

A Petrobras reconhece que foi notificada por auditores do MPT e Superintendência Regional do Trabalho do Rio de Janeiro (SRTE/RJ) a manter paralisadas as operações de transferência de óleo dos tanques de petróleo e o sistema de ventilação dos tanques da água separada do petróleo, que segundo a empresas, estavam paralisados por iniciativa da própria.

- Foram interditados dois sistemas da P-35 que liberam monóxido de carbono e gás sulfídrico. O que significa interromper a produção da plataforma. Ambos os sistemas já haviam apresentado problemas.

Interditados não oferecem riscos e, portanto, não é necessário desembarcar os trabalhadores que estão na plataforma - explica Marcos Breda, diretor do Sindipetro-NF.

O sindicato já havia feito um pedido de interdição da unidade à Agência Nacional do Petróleo (ANP), ao MPT, à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) e à Marinha.

O Sindipetro-NF informou que o pedido de interdição da P-35 foi referendado por 126 trabalhadores da Petrobras e de empresas privadas do setor petróleo em assembleia.

O sindicato diz ainda ter recebido informações de que, na madrugada desta sexta-feira, ocorreu contaminação de 2 PPM de gás sulfídrico nas acomodações dos petroleitos. A informação, diz a entidade, teria sido confirmada nesta sexta, pela Petrobras em reunião com o MPT.

No fim de setembro, a Petrobras retirou 22 trabalhadores que foram intoxicados por causa da presença de dióxido de carbono na plataforma P-35, na bacia de Campos . O gás é utilizado para manter um selo inerte (sem oxigênio) nos tanques de armazenamento de petróleo da plataforma.

Segundo a estatal, na época, a produção não foi interrompida. A plataforma tem uma produção de óleo de 55.719 mil barris por dia. A produção de gás é de 360.000 m3/d. Ao todo, conta com uma tripulação formada por 200 pessoas.

Em agosto do ano passado, denúncias publicadas no GLOBO sobre os riscos aos trabalhadores na plataforma P-33 acabaram levando à sua interdição pela ANP.

O presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, admitiu na época que a P-33 e outras plataformas tinham problemas de conservação.

Fabiana Ribeiro (fabianar@oglobo.com.br)


Leia também :

http://www.viomundo.com.br/denuncias/inseguranca-na-petrobras-matou-300-trabalhadores-nos-ultimos-16-anos.html


DESERÇÃO : PMDB perde quase 86 mil filiados em seis meses


O PMDB foi o partido que mais perdeu adeptos nos últimos seis meses. Segundo levantamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o partido do vice-presidente da República, Michel Temer, contabilizou 86.243 baixas nesse período.

Em seguida aparece o PSDB, com 59.962 desfiliações.

O PT aparece na sequência, com 49.722 baixas.

O DEM perdeu 47.177 antigos filiados.

Mesmo nos partidos recém-criados, alguns poucos nomes já se mostraram arrependidos. Quinze pessoas deixaram o PPL e 219 saíram do PSD.

O partido com o menor número de defecções foi o pequenino PCO: apenas um de seus 2.788 filiados deixou a sigla.

(Vandson Lima/Valor)

"PARA O BRASIL SEGUIR MUDANDO" : MB Associados prevê PIB menor em 2011 por indústria E Confiança do empresário no menor nível em 2 anos e meio


MB Associados prevê PIB menor em 2011 por indústria

A indústria deve fechar o ano com um número mais negativo do que se esperava, afetando negativamente o resultado do PIB. É a previsão do economista Sérgio Vale, da MB Associados, que revisou para próximo de 3% sua previsão para o crescimento da economia em 2011.

Vale aposta em crescimento de 4% da demanda doméstica.

Ele observa que desde março a indústria tem dado sinais de queda na passagem de um mês para o outro e, considerando o resultado ruim estimado por ele para setembro - queda de 1,9% em relação a agosto, o setor pode acumular queda de 4,3% no período, como mostra o gráfico abaixo.

Depois de ter avançado 10,5% em 2010, o ritmo de crescimento do setor deve desacelerar para 1,8% em 2011, segundo Vale.

O economista também revisou as estimativas do PIB do terceiro trimestre para 0,3%, mas diz que há chances de um resultado negativo.

Para 2012, o economista prevê crescimento de 4% e inflação ainda bastante pressionada, de 5,7%, bem acima do centro da meta (4,5%), apesar de o governo dizer que o IPCA ficará perto disso.

Vale estima que o IPCA fechará 2011 em 6,5%, no teto.

Confiança do empresário no menor nível em 2 anos e meio

O gráfico abaixo, enviado ao blog pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostra que após um mês de estabilidade, o otimismo dos empresários voltou a cair em outubro.

Em relação a setembro, o recuo foi de 1,8 ponto, mas frente a outubro do ano passado, a queda é bem mais intensa, de 8,2 pontos, segundo o índice calculado pela Confederação, que caiu para 54,6 pontos, abaixo da média histórica e o menor desde abril de 2009.

O economista Marcelo de Ávila, da CNI, diz que o principal motivo é a manutenção das perspectivas negativas para a economia mundial, que afeta a brasileira.

O índice mostra também que a avaliação dos empresários sobre as condições atuais da economia local está cada vez pior. Embora positivas, as expectativas para os próximos seis meses continuam recuando.

A CNI entrevistou 2.090 empresas, entre os dias 3 e 18 de outubro, para essa pesquisa.

Valéria Maniero/O GLOBO

AS ENGRENAGENS DA CORRUPÇÃO

Se demitir Orlando Silva mas mantiver o Ministério do Esporte como feudo do PCdoB, a presidente Dilma Rousseff estará dando seu aval aos desvios de verbas públicas que têm ocorrido tanto lá quanto em outros endereços da Esplanada.

Será conivente e sócia da roubalheira.
Estará, mais uma vez, se dobrando ao comportamento mafioso que tem pautado a relação entre os partidos aliados na era petista.


Está cada vez mais claro que os vertedouros de dinheiro do contribuinte para bolsos privados e usos político-partidários não é exclusividade de Silva, tampouco de sua pasta.

No Esporte, há evidências de sobra de que o esquema foi montado desde que Agnelo Queiroz lá chegou, inaugurando a dinastia comunista na área.


Brasília, base política do hoje governador e alvo de inquérito no STJ, foi fartamente agraciada com verba repassada por convênios do Ministério do Esporte nos últimos anos. Instituições do Distrito Federal receberam R$ 169 milhões desde 2003, segundo O Globo, e só perdem para as do Rio, que obtiveram R$ 639 milhões.

Superam em muito, por exemplo, os R$ 86 milhões de São Paulo.
Com Silva, o favorecimento a entidades candangas se manteve.


Também se acentuou a relação promíscua entre ministério, PCdoB, lideranças e entidades estudantis, já que a UNE é outro dos feudos comunistas.

A
Folha de S.Paulo revela repasses milionários a ONG ligada ao principal assessor de Orlando Silva, o hoje secretário de Esporte Educacional, Wadson Ribeiro, que também foi secretário-executivo da pasta até 2010.

Vale lembrar que a UNE sobrevive - e bem - praticamente do dinheiro do monopólio da emissão das carteiras de estudante, garantido no segundo mandato de Lula. Além disso, com o PT, a entidade também passou a receber repasses federais para eventos que organiza, como recorda Maria Cristina Fernandes no Valor Econômico.

Repete-se no Esporte e com o PCdoB o mesmo padrão paroquial que já vigorou e vigora em outros ministérios desde o início da era petista.

Em outras três pastas envolvidas em escândalos e subsequente queda de ministro nos últimos meses também foi assim:
Transportes,
Agricultura
e Turismo, todas entregues de "porteira fechada" a seus respectivos partidos e todas alvo de denúncias de corrupção.


Não é diferente, também, no Ministério do Trabalho, onde o TCU acaba de suspender por 60 dias os contratos de repasse de dinheiro do FAT, como informa O Estado de S.Paulo.

Trata-se de convênios que, em geral, favorecem entidades ligadas a sindicatos que funcionam à sombra de PT, PDT e outros partidos. Eles prometem, mas não entregam o combinado em termos de ações em prol dos trabalhadores, como cursos de qualificação


Reiteradas auditorias realizadas por este tribunal apontaram irregularidades na aplicação de recursos transferidos pelo Ministério do Trabalho e falhas na gestão dos convênios", diz texto levado ao plenário do TCU pelo ministro substituto Weder de Oliveira e citado pelo jornal.

São inúmeros os exemplos de que a corrupção e os desvios estão incrustados na máquina pública, com a complacência do governo do PT.

Rouba-se hoje muito dinheiro público no país:
uma amostra colhida entre 2002 e 2008 pelo TCU aponta desvios de R$ 40 bilhões só de cofres da União, como mostrou a
Folha em setembro.

"Há um 'apagão' nos sistemas de controle e fiscalização que será ainda mais danoso ao país à medida que deslanchem vultosas obras de infraestrutura, impulsionadas pelo PAC, Copa e Olimpíada", lamenta o Valor em editorial.

Tudo indica que a presidente Dilma não pretende bulir com este esquema e cogita, por exemplo, manter o enlameado PCdoB à frente do Esporte, ainda que não com Orlando Silva. É a garantia de que as engrenagens da corrupção continuarão funcionando a pleno vapor, até que a imprensa revele o próximo escândalo.

Fonte: Instituto Teotônio Vilela