"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

março 03, 2010

LULA O ...

http://1.bp.blogspot.com/_ywSvQZuuiEw/R5CMnUPVdcI/AAAAAAAAAsw/9XbkXXL5lnc/s400/burro%2520com%2520livros.jpg
O Brasil mantém sua posição.
O Brasil tem uma visão clara sobre o Oriente Médio e sobre o Irã.
O Brasil entende que é possível construir outro rumo.
Eu já disse para o Obama:
Não é prudente encostar o Irã na parede.
O que é prudente é estabelecer negociações.
Eu quero para o Irã o mesmo que quero para o Brasil:
utilizar o desenvolvimento da energia nuclear para fins pacíficos.

Se o Irã tiver concordância com isso, terá apoio do Brasil.
Se quiser ir além disso, o Irã irá contra o que está previsto na Constituição brasileira e, portanto, não podemos concordar.

HILLARY - DEFENDE CAÇAS BOEING

http://2.bp.blogspot.com/_wxp-8ycRxxU/Rk4U5fj4d7I/AAAAAAAAAyI/gJj5U7Kefjc/s200/hillary5.jpg

Em visita a Brasília, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, defendeu nesta quarta-feira a escolha dos caças fabricados pela Boeing como a melhor alternativa para o Brasil no projeto FX-2. http://2.bp.blogspot.com/_VoabGNCjIxg/RpJpXA5Fd1I/AAAAAAAAAU0/PIb78eh4cMo/s320/EA-18G_Underside_lg.jpg
O Brasil teria tomado a decisão política em favor dos franceses Rafale, mas a compra das 36 novas aeronaves ainda não foi oficialmente divulgada pelo governo.

A principal demanda do Brasil para escolher o vencedor entre os três finalistas estaria na possibilidade de transferência de tecnologia e na chance de empresas brasileiras poderem fabricar as novas aeronaves e as exportar.

Em prol da Boeing, por fim, contam argumentos como a possível superioridade técnica dos FA-18 Hornet, além da disposição da empresa americana de desenvolver com a Embraer o cargueiro militar KC-390, a ser vendido para a FAB.

A fabricante não garantiria, no entanto, uma ampla transferência de tecnologia, vetando potenciais transações brasileiras com países não alinhados aos Estados Unidos.

DIILLMAAA - BIP/BIP/ZIP/REC/PAC/PAC/PAC

http://josiasdesouza.folha.blog.uol.com.br/images/DilmaRafaelAndradeFolha2.jpg
A ANDRÓIDE
As obras de melhoria de infraestrutura em aeroportos e portos no País previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) estão com atrasos de até 41 meses.
Alguns problemas identificados no início do plano ainda não foram solucionados.

A avaliação do ritmo dessas obras é relevante porque os aeroportos são uma das bases da infraestrutura da Copa de 2014.
A situação dos portos também ajuda a determinar o ritmo do crescimento da economia.

A recuperação e revitalização do sistema de pistas e pátio no Aeroporto do Galeão, no Rio, por exemplo, deveriam ter sido concluídas em julho do ano passado, de acordo com o primeiro balanço do PAC.

Até o mês passado, porém, só 51% das obras haviam sido concluídas e o comitê gestor do programa não incluiu em seu último levantamento uma previsão para terminar o empreendimento.

O PAC foi lançado em janeiro de 2007 e previa R$ 638 bilhões em investimentos até o fim de 2010, com base em recursos do Orçamento da União, dos Estados e municípios, estatais e empresas do setor privado.

O programa é considerado o carro-chefe da campanha da ministra da Dilma Rousseff (Casa Civil), pré-candidata do PT à Presidência. Lula até apelidou a ministra de "mãe do PAC".

DÓLARES- SAÍDA MAIOR QUE ENTRADA EM FEV.

http://4.bp.blogspot.com/_8R8mEGwzKac/SV3BQWvjHPI/AAAAAAAABbo/sjNfVdYZ-PQ/s1600-R/stacks_of_cash-custom%3Bsize:466,350.jpg
Agência Brasil
O país registrou saída líquida (já descontada a entrada) de US$ 399 milhões no mês de fevereiro, segundo dados do Banco Central (BC), divulgados nesta quarta-feira (3/3). No mesmo mês do ano passado, houve entrada líquida de US$ 841 milhões.

O resultado negativo do mês passado foi influenciado pela saída líquida de dólares nas operações comerciais (exportações, importações e financiamentos ao setor) de US$ 2,285 bilhões. No segmento financeiro (investimentos em títulos, remessas de lucros e dividendos ao exterior e investimentos estrangeiros diretos, entre outras operações) houve entrada líquida de US$ 1,886 bilhão.

No acumulado do ano, houve entrada líquida de US$ 676 milhões.
No mesmo período do ano passado, houve saída de US$ 2,177 bilhões.
No período, as operações comerciais registraram saída líquida de US$ 2,425 bilhões, enquanto as financeiras apresentaram entrada de US$ 3,101 bilhões.

O BC também informou que as compras de dólares no mercado à vista elevaram as reservas internacionais em US$ 350 milhões, em fevereiro deste ano.
Em janeiro, esse resultado foi de US$ 1,709 bilhão.

O QUE TODOS SABEM: PT NÃO CRIA, NÃO FAZ, COPIA !

http://www.baixaki.com.br/imagens/materias/2363/5486.jpg
Camuflados :
Ô parlapatão cachaceiro! Você conhece essa ? O HOMEM QUE DIZ SOU NÃO É!
Ouvimos a cantilena repetida pelo boçal milhões de vêzes: "nunca antiz naistória deztepaíz", "eu estou convencido". Esse partideco de vagabundos e da andróide feita de sucata vivem e sobrevivem assim :

Lula na Anfavea: “Tive que provar todos os dias que podia fazer muito por esse país”.

Ele e todos os seus antecessores “tiveram de provar”.

Ou não se cobrou nada de seu antecessor porque, afinal de contas, ele era professor universitário?

Ora… Se formos medir as ousadias, quem terá sido o homem verdadeiramente ousado?

FHC, que lançou um plano de estabilização que resumia, sem dúvida, racionalidade e expertise técnica, mas cuja composição e operação era inédita no mundo, ou Lula, que se limitou a seguir as balizas que herdara daquele que, agora, ele diz não ter feito nada pelo Brasil e pelos pobres?

Quem dera Lula falasse a verdade, e seu partido, de fato, renunciasse à prática do terrorismo eleitoral, que deseduca o país.

Mas isso não vai acontecer.

Não demora, e ele estará repetindo as coisas de sempre.

A célebre frase “Nunca antes na história destepaiz”, diga-se, é a divisa por excelência do terrorismo eleitoral.

- Trecho extraído de : ELEIÇÃO E TERRORISMO(Reinaldo Azevedo);

Claudia Andrade/Direto de Brasília


Em discurso nesta terça-feira, durante cerimônia de homenagem a Tancredo Neves, o governador de São Paulo, José Serra, disse que o governo do PT é beneficiário de políticas de seu antecessor, Fernando Henrique Cardoso.

"O PT acabou por ser, por paradoxal que pareça, um dos principais beneficiários da eleição do primeiro presidente civil e das conquistas sociais e culturais da nova Constituição, soube, posteriormente, colher bons frutos de mudanças institucionais e práticas como o Plano Real, como o Proer e a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Soube colher bons frutos ao longo de seus períodos de governo", disse. O Proer foi um programa de recuperação de instituições financeiras que durou até 2001.

O discurso foi proferido diante da cúpula do PSDB, que compareceu à sessão solene em homenagem ao centenário do ex-presidente Tancredo Neves. Entre os presentes estava o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, que em entrevista voltou a negar qualquer intenção de ser vice de Serra em uma eventual chapa puro sangue.

Em sua fala, Serra repetiu a essência de um artigo publicado recentemente na imprensa.

Com algumas mudanças, como o trecho em que ressaltou não haver garantias de sustentabilidade das conquistas econômicas a médio e longo prazos.

"Nenhuma conquista é definitiva, nenhum progresso, no Brasil e no mundo, é garantido e irreversível. Assim como não somos escravos dos erros do passado, tampouco devemos crer que a eventual sabedoria dos acertos de ontem e de hoje se repetirá invariavelmente hoje e amanhã", disse.

"É necessário ter isso presente porque a estabilidade, o crescimento, os ganhos de consumo, ainda não têm garantidas as condições de sustentabilidade no médio e no longo prazos", afirmou.

Redação Terra

$ONDA$ PRÉ-$AL -LICITAÇÃO BILIONÁRIA

http://1.bp.blogspot.com/_wXnFlO20CSU/SRtX1FUrVEI/AAAAAAAABVo/Zaf50SmxUjY/s400/petrobras.jpg
Sabrina Lorenzi, iG Rio de Janeiro
A entrega das propostas para a licitação das 28 sondas de perfuração encomendadas pela Petrobras foi adiada para maio, informou ao iG o diretor de Serviços da estatal, Renato Duque.

A data inicial da Petrobras para receber os envelopes das empresas convidadas a participar da concorrência era 4 de março.
Os investidores terão mais 60 dias para enviar os preços estimados para as sondas.

“Estamos atendendo a uma solicitação dos participantes, que precisavam de mais tempo para entregar as propostas. É razoável que tenham dificuldade, pois é uma licitação pioneira”, afirmou Duque.

É a primeira vez que a estatal encomenda sondas de perfuração com foco em águas ultraprofundas para serem construídas no País.

O mercado estima que cada unidade custe à Petrobras US$ 1 bilhão, mas o valor não foi confirmado pelo executivo.

As sondas vão atender prioritariamente às atividades de exploração do pré-sal, na Bacia de Santos.

A licitação começou em 16 de outubro, com o envio de cartas-convite a dezenas de empresas. A Petrobras não revela quantas, nem o nome das concorrentes.

O iG apurou que todos os estaleiros em atividade, que costumam participar das licitações da estatal, foram convidados, bem como empresas de outros ramos que decidiram entrar no negócio de construção de navios e plataformas.

Das 28 sondas que a Petrobras está encomendando, nove serão construídas para a venda e outras 19 para afretamento (aluguel).

A estatal, portanto, não será dona da maioria delas. A vantagem para o construtor desta modalidade de afretamento é a garantia dos contratos de aluguel das sondas.

A construção de sete navios-sonda que serão comprados pela Petrobras deverá ser realizada por um único grupo ou consórcio, de acordo com as regras do edital da licitação.

A primeira sonda deverá ser entregue 48 meses depois da assinatura de contrato com a Petrobras. Outras duas unidades podem ser erguidas por empresas diferentes, segundo explicou Duque.