"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

maio 31, 2010

NO EXAME FÓRUM PRELIMINARES FAVORÁVEIS À SERRA.

http://4.bp.blogspot.com/_pH_VfhKO2r8/S1Ry1niTizI/AAAAAAAAA4E/xSEOzVp2LP4/s400/dilma-serra-marina-foto3.JPG

Diego Salmen/Do UOL Eleições

Levantamento feito pelo UOL Eleições nesta segunda-feira (31) durante fórum realizado pela revista Exame, em São Paulo, mostra que o presidenciável José Serra (PSDB) tem mais que o dobro das intenções de voto entre os empresários consultados do que sua concorrente Dilma Rousseff (PT).

Dentre os 40 empresários ouvidos pela reportagem, 19 disseram ser eleitores do tucano, contra oito que votarão na ex-ministra da Casa Civil.

Já a pré-candidata Marina Silva (PV) obteve dois votos.

Ao todo, 11 disseram ainda não saber para qual dos postulantes depositarão seus votos nas eleições de outubro.

A organização afirma que cerca de 500 empresários participam do evento.

O Exame Fórum traz uma rodada de debates e seminários sobre desenvolvimento econômico durante todo o dia, no Hotel Unique, na capital paulista. Pela manhã, falaram o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, e o economista Nouriel Roubini.

Serra e Dilma participam do evento, separadamente, em painel intitulado "Brasil, 5ª economia mundial. Como chegar lá?".

A petista fez sua apresentação no final da manhã, enquanto o tucano fala à tarde.

BC : PAGA EMPRÉSTIMOS COM RECURSOS DA RESERVAS

http://www.ping.blog.br/wp-content/uploads/2010/01/reservas-internaiconais.jpg
Fabio Graner, da Agência Estado

O Banco Central anunciou que foi liquidada a última parcela de operações de empréstimo de dólares com recursos das reservas internacionais, feitas no enfrentamento da crise internacional entre outubro de 2008 e abril de 2009.

Esses empréstimos tiveram por objetivo garantir a liquidez em moeda estrangeira no mercado financeiro diante da total retração de investidores internacionais.

Segundo o BC, foram realizados naquele período 11 leilões, que resultaram em 137 contratos de empréstimos, com 31 instituições financeiras diferentes, no valor de US$ 10,9 bilhões.

"Essas operações possibilitaram o financiamento de mais de 12.500 contratos de adiantamento de exportação e de 197 contratos de outras modalidades", informa o BC em nota à imprensa.

"A ausência de demanda por novos empréstimos a partir do segundo semestre de 2009 e a liquidação antecipada de grande parte dos valores emprestados demonstraram a força da economia brasileira na superação dos impactos sofridos como consequência da crise financeira internacional", acrescentou a instituição.

Na nota, o BC não informa o valor da última parcela que foi liquidada, mas, na semana passada, o chefe do Departamento Econômico do BC, Altamir Lopes, havia informado que restavam apenas US$ 1 milhão para retornar ao caixa das reservas internacionais brasileiras.

Na sexta-feira, as reservas brasileiras fecharam em US$ 249,054 bilhões, com queda de US$ 351 milhões ante os US$ 249,405 bilhões do dia anterior.

TRABALHANDO DESESPERADAMENTE PELA PRÓPRIA "GLÓRIA"

http://1.bp.blogspot.com/_fwT8XThRCGU/SJHCXoA_hgI/AAAAAAAAC68/lkiSPfe9JO0/s320/Ta%C3%A7a.bmp
Precisamos ter um novo governo para reconstruir a relação bilateral com os EUA direcionada para os reais interesses do Brasil.

Uma política externa calcada em interesses concretos, política do País, e não de um presidente, sem a falácia dos que gostam da bebida forte e sob o seu domínio são estimulados aos instintos dos sentimentos de antiamericanismo, satisfazendo somente a vontade dos que hoje representam essa diplomacia ávida em promover um presidente megalomaníaco.

Apertando a mão do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, estamos emprestando nossa honra a um regime manchado de sangue. O nosso lado é junto aos EUA.
Que os bons ventos voltem com um novo governo, que essa gente seja defenestrada do poder.

AFP

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende conversar com os colegas francês, russo e chinês para obter o apoio deles ao acordo tripartite Irã-Turquia-Brasil sobre a troca de urânio, anunciou a presidência iraniana.


"Para obter o apoio de outros países à declaração (de Teerã), vou prosseguir meus contatos com os líderes", declarou Lula durante uma conversa telefônica com o presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad, de acordo com um comunicado do governo de Teerã.

"Esta semana terei contato com (o presidente francês Nicolas) Sarkozy, (o presidente russo Dmitri) Medvedev e o presidente chinês (Hu Jintao)", completou Lula.