"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

maio 25, 2010

A CONSPIRAÇÃO DA COXINHA, AUTOR DA MAQUINAÇÃO :FHC, PARTICIPAÇÃO, TIO REI.

Fonte: Charge on  line/www.gentedeopiniao.com/www.gentedeopiniao.com.br

Agora que um ministro de Lula emitiu uma opinião em off — técnica revolucionária do jornalismo do cretáceo — segundo a qual FHC está por trás da recusa de Obama em visitar o Brasil antes das eleições, a gente entende certas coisas, não é mesmo?

A tunda que Lula levou nessa questão foi, na verdade, uma conspiração coordenada por… FHC!!!

Observem:

o Itamaraty vazou trechos de uma carta do presidente americano a seu colega brasileiro expressando confiança nas negociações que o Brasil e a Turquia empreendiam com o Irã.

Adivinhem quem redigiu aquele texto…

Coisa de FHC, evidentemente!

Só para induzir o Babalorixá de Banânia a erro. Como é que Obama dá a maior força para o companheiro e articula as sanções menos de 24 horas depois do “acordo”?

Tudo foi combinado aqui em Higienópolis.
Confesso:
participei da tramóia.
Estava fazendo a minha caminhada, encontrei FHC comendo uma coxinha na padaria Aracaju e recebi o convite:
“Topa sabotar a paz mundial e ferrar o Lula?”
Aceitei imediatamente o convite, sem saber qual das duas coisas me daria mais prazer.
Ou das três: também pedi uma coxinha.

Continua :

Reinaldo Azevedo : A CONSPIRAÇÃO DA COXINHA

COMO PREPARAR E SERVIR UM EMBARAÇO MUNDIAL.


Uma das grandes ambições do atual governo é colocar o Brasil definitivamente entre os protagonistas mundiais. De fato, os brasileiros merecem.

A assinatura do acordo do Irã seria o passaporte para este mundo de poderosos. Mas, manipulada tanto pelos EUA como pelo Irã, a diplomacia petista só não se deu conta de que o país acabaria atuando no papel principal de uma comédia armada.

Coloque em um caldeirão grandes doses de megalomania e um montante de vaidade. Junte com um pouquinho de boa intenção e um pacote grande de ingenuidade.
Adicione a necessidade de aplausos.
Não se esqueça de incluir uma protoditadura de terceiro mundo e a retórica esquerdista a la anos 60.
Deixe esquentar e misture bem.

Tempere com bastante soberba.
Pronto, já está servido ao mundo um perfeito embaraço internacional. Conduzido por cozinheiros como o chanceler Celso Amorim e o assessor internacional da Presidência, Marco Aurélio Garcia, e com o aval "secreto" do chef Barack Obama, o aprendiz Lula levou o Brasil a servir o maior constrangimento de sua história diplomática.


Em busca da paz mundial, fechou um acordo com o Irã de Mahmoud Ahmadinejad.

Apresentado em meio a slogans para ser eterno, o trato não resistiu a um dia sequer de realpolitik.


No dia seguinte, o choque. Desconfiado do Irã, Obama tinha abandonado o barco, que começara a naufragar. A secretária de Estado americano, Hillary Clinton, até elogiou a atitude do Brasil, e coisa e tal.

Mas anunciou sanções contra o Irã no Conselho de Segurança da ONU.
Aconteceu o que o Brasil queria evitar. A esperança verde-amarelo era de que China e Rússia rechaçassem a proposta de Hillary, pois, em tese, eram "nossos amigos".

Pura ilusão.
Todos os grandes fecharam com os EUA. Até nossos hermanos mexicanos preferiram seguir a orientação do Norte.
Foi como se o governo de Obama dissesse ao Brasil e à Turquia: "Pronto, meninos, agora saiam do tanque de areia para que nós, os grandes, possamos brincar".


Ficou a incômoda impressão de que Lula agiu como garoto de recados de Obama, que mudou de ideia mais tarde.
Haja brejeirice


Pauta em Ponto : Íntegra...

DÍVIDA EXTERNA SOBE PARA US$211,61bi.

www.galizacig.com/actualidade/200501/resistir.imagem.
Clic para aumentar
A dívida externa total brasileira (pública e privada) subiu para US$ 211,61 bilhões, em abril,de acordo com dados divulgados pelo Banco Central.

Em março, a dívida externa brasileira estava em US$ 206,499 bilhões. O aumento de um mês para outro foi de US$ 5,1 bilhões.

A dívida externa de médio e longo prazos, em abril, cresceu US$ 3 bilhões, influenciada pela ampliação do passivo dos setores privado e público.

A dívida externa de curto prazo teve aumento de US$ 2,1 bilhões.

Leia também :
Conta corrente tem déficit de US$ 16 bi de janeiro a abril

BOVESPA CAPITAL EXTERNO DÉFICIT DE R$2,O76bi - 21/5.

Alan E. Cober

O déficit de capital externo na Bovespa em maio subiu para R$ 2,076 bilhões até a última sexta-feira, dia 21. Naquele pregão, quando saíram R$ 324,896 milhões em recursos estrangeiros, o Ibovespa fechou com ganho de 3,55%, aos 60.259,33 pontos, e giro de R$ 6,504 bilhões.

O saldo negativo de investimento externo na bolsa no mês resulta de compras de R$ 31,356 bilhões e vendas de R$ 33,432 bilhões.

No acumulado de 2010, o déficit de capital externo na Bovespa chega a R$ 3,357 bilhões.

FANTOCHE PASSA POR NY "DESPERCEBIDA"

http://2.bp.blogspot.com/_UuUKBbhb10k/SrwXy7Vgs1I/AAAAAAAABCY/hhCRbAm2s6g/s400/jornais.jpg
AE - Agência Estado

Natural para quem não tem nada a dizer, melhor calar-se espontâneamente ou por "precaução", do que ouvir : " Por quê não te calas?"

A pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, passou por Nova York sem chamar a atenção dos norte-americanos. Longe do circuito do poder, se restringiu ao meio de investidores e funcionários do mercado financeiro especialistas em Brasil, sem receber cobertura dos principais jornais dos Estados Unidos.

A falta de impacto na visita de Dilma se deve acima de tudo à distância da votação, segundo afirmou Marcello Halacke, um dos brasileiros com mais experiência em Wall Street e sócio do escritório de advocacia Thompson & Knight. "Os investidores começarão a prestar mais atenção depois das férias de verão no hemisfério norte, em agosto."

LACUNAS E INCONSISTÊNCIAS O "ACORDO" BURROS N'ÁGUA.

Durante visita à China, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, afirmou que a carta que o Irã entregou à Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) sobre o acordo fechado com o Brasil e Turquia sobre a troca de urânio está cheia de lacunas e inconsistências.

"Há uma certa quantidade de lacunas que não respondem às preocupações da comunidade internacional", afirmou Hillary Clinton durante o encontro "Diálogo Estratégico e Econômico sino-americano" que acontece durante dois dias em Pequim.

O Irã notificou na segunda-feira a AIEA, em Viena, do acordo tripartite estabelecido entre Irã, Brasil e Turquia sobre a troca de urânio enriquecido por combustível nuclear.

Com a carta, Teerã pretende tranquilizar a comunidade internacional sobre seu programa atômico e evitar uma nova rodada de sanções, já em progressiva discussão no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas).

O documento, assinado pelo chefe da Organização de Energia Atômica iraniano, Ali Akbar Salehi, foi entregue durante uma reunião na residência na Áustria do diretor geral da AIEA, o japonês Yukiya Amano.

GOVERNO EM CAMPO CONTRA MP/479


O governo vai tentar barrar a aprovação de um pacote de bondades incluído na medida provisória de reestruturação de carreiras do serviço público na sessão de hoje da Câmara (MP 479).

A relatora da MP, deputada Gorete Pereira (PR-CE), apresentou o seu parecer com 21 propostas de alteração ampliando as categorias beneficiadas, transformando cargos, estendendo gratificações, aumentando salários e incorporando carreiras.

As mudanças contrariam o governo, mas tem potencial popular junto aos servidores públicos neste ano eleitoral.

A assessoria governista ainda não conseguiu concluir o impacto de tantas mudanças sugeridas pela relatora nos cofres públicos.

Levantamento parcial, no entanto, feito em apenas três alterações, aponta um aumento de gastos em torno de R$ 3,122 bilhões, quase 100 vezes mais do que o gasto previsto na MP original, de R$ 31,769 milhões.

O SENADO DO CORONÉ SARNEY É O COVIL.


Uma semana após denunciar esquema de contratação irregular no Senado, a funcionária fantasma Kelly Janaína Nascimento da Silva, 28 anos, continua recebendo salário.

Na noite da última sexta-feira, data de pagamento dos funcionários, o Senado depositou R$ 3.804,04 na conta aberta em nome de Kelly, na Caixa Econômica Federal.

Apesar de o gabinete do senador Efraim Morais (DEM-PB) garantir que as servidoras fantasmas já tinham sido exoneradas, Kelly e a irmã Kelriany Nascimento da Silva, 32 anos, permanecem no quadro de funcionários da Casa.

Mas diferentemente de Kelly que recebeu o salário na íntegra sem nenhum mecanismo de suspensão, Kelriany teve o benefício proporcional do mês de maio estornado da conta. O valor de R$ 1.418,78 ficou bloqueado durante o fim de semana e liberado apenas ontem, como mostram os extratos bancários da estudante.

Se tivessem sido exoneradas no dia 18, as funcionárias fantasmas poderiam ter recebido acerto de rescisão superior a R$ 10 mil, sem nunca terem trabalhado para o Senado.

Só em 2009, a Casa gastou R$ 5.655 em auxílio alimentação para cada uma das comissionadas fantasmas.

O número
R$ 3.804
Valor do salário recebido por Kelly Janaína Nascimento da Silva na última sexta-feira

PROJEÇÃO PARA O IPCA

http://blogcdlrecife.files.wordpress.com/2010/03/aumento.jpg

Há 18 semanas os economistas e analistas que respondem à pesquisa Focus, do BC, elevam as projeções para o IPCA.

A mediana das expectativas para o índice oficial de inflação usado para o sistema de metas atingiu 5,67%, nesta semana, contra 5,54% da medição anterior.

"Depois de uma semana com divulgação de fortes altas nos índices de inflação, dado o efeito do aquecimento da demanda sobre os preços, a mediana das projeções para o IPCA em 2010 registrou um salto de 0,13 ponto percentual", aponta a equipe econômica do Santander.

A deterioração das expectativas também se refletiu nos outros índices, lembra o banco, em relatório, com elevação do IGP-M, de 8,56% para 8,75%, e do IGP-DI, de 8,43% para 8,73%. No caso do IPC-Fipe, o prognóstico teve leve redução, de 5,50% para 5,45%.

Em maio, o IPCA deve marcar 0,45% de alta, pouco mais do que o 0,42% esperado anteriormente. No IGP-DI, a estimativa saiu de 1% para 1,30%. A previsão do IGP-M foi elevada de 1% para 1,15%. No IPC-Fipe, houve ligeira variação, de 0,34% para 0,35%.

Mesmo com a deterioração das expectativas, não houve mudança no tamanho do aperto monetário esperado pelo mercado. Os analistas acreditam que a Selic deve fechar o ano em 11,75% ao ano. Para o fim de 2011, a projeção é de Selic em 11,50% ao ano.