"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

julho 14, 2010

CADA POVO TEM O "GOVERNANTE" QUE MERECE. NÓS TEMOS UM PEQUENO DÉSPOTA ASQUEROSO E ÉBRO.

http://3.bp.blogspot.com/_D4r9QM5GhqU/SxGhdXTOb-I/AAAAAAAAAb8/5ozCpioo6KY/s1600/JusticaPograma.gif
O cachaceiro aprendiz de déspota está deitando e rolando na "lei". Transformou o TSE num antro de palhaços. Não reconhece nenhuma autoridade do judiciário, numa cerimônia a que estava presente o palhaço chefe (o presidente do tribunal) pisou na lei e publicamente nos obriga a testemunhar o asqueroso presidente excretar na "autoridade" do TSE.
Enquanto estamos todos subordinados às leis, ele não e como já exposto defeca e anda pra todas elas.
É o reino da cachaça, onde a lei dos botecos prevalece.


.....

Um dia após ter citado a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, em uma cerimônia do governo, fato que contraria a legislação eleitoral, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva “pediu desculpas pelo que classificou de “erro político” e justificou a fala dizendo apenas que tinha “obrigação moral” de fazer o reconhecimento histórico do trabalho da candidata enquanto ministra de seu governo na articulação projeto do trem-bala entre São Paulo e Rio de Janeiro.

“O dado concreto, e vocês que são jornalistas sabem, é que foi ela [Dilma] que começou, foi ela que trabalhou, foi ela que organizou tudo para que nós pudéssemos publicar ontem o edital do trem-bala. Todo mundo sabe disso, mas se eu cometi um erro político, eu peço desculpas.

Mas a intenção era apenas fazer o reconhecimento histórico”, afirmou Lula ao ser questionado durante entrevista no encontro de Cúpula Brasil e União Europeia realizado no Palácio do Itamaraty.

Entre os convidados do evento estava o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski. Ele acompanhou em silêncio toda a explicação e o pedido de desculpas de Lula e viu quando ele, a pretexto de esclarecer as declarações, voltou a destacar a atuação da candidata petista no projeto do trem-bala.

“Eu possivelmente tenha cometido uma falha. Era preciso que a gente não lembrasse fatos históricos. Eu fiquei quase na obrigação moral de dizer que quem tinha começado a trabalhar no projeto do trem-bala tinha sido a companheira Dilma”, disse Lula.

O presidente do TSE apenas sorriu ao ouvir as justificativas de Lula.

O TSE não age. Ele reage. Vamos examinar esse caso quando chegar ao TSE. Tudo depende do contexto e das provas que integram o processo”, disse Lewandowski sobre as declarações de Lula.

Vamos ver a "reação", o motivo e a humilhação estão bem caracterizados.

PETROBRAS : NO SETOR É O 2º PIOR EM DESEMPENHO NO MUNDO.

Peter Millard, do Rio Valor Econômico

A Petrobras teve o segundo pior desempenho no mundo neste ano entre as companhias de petróleo, atrás apenas da BP , por conta do receio de que o governo vai forçar a empresa a pagar mais do que os investidores esperavam originalmente pelas reservas de petróleo do pré-sal.

O adiamento da venda de ações, que ficou mais perto das eleições presidenciais de outubro, "deixa as águas completamente turvas e aumenta a politização da oferta".
A empresa afirmou que precisa aguardar a avaliação das reservas pelo governo antes da oferta pública.

A Petrobras caiu 27% no primeiro semestre, seu pior início de ano desde 1995.
Isso se compara a uma queda de 47% da BP, que enfrenta dezenas de bilhões de dólares em prejuízos por causa do desastre que levou ao maior derramamento de óleo na história americana.

A Exxon Mobil , o maior produtor de petróleo dos EUA, e o maior da Europa, a Royal Dutch Shell, perderam 16% e 10%, respectivamente

A Petrobras pode precisar pagar ao governo até US$ 8 por barril das reservas, ou até US $ 40 bilhões, disseram os analistas do Credit Suisse liderados por Emerson Leite em relatório a investidores em 30 de junho.

No início deste ano, o banco previu que a Petrobras pagaria de US $ 5 a US$ 6 dólares por barril, ou US$ 30 bilhões em novas ações.

Procurada, a Petrobras não quis fazer comentários sobre a venda de ações ou sobre o desempenho do papel.

"O que está assombrando as ações por semanas é esse elevado nível de intervenção política. E agora ela perdeu credibilidade entre os acionistas", após o adiamento, afirmou Christopher Palmer, que supervisiona US$ 5 bilhões como chefe de mercados emergentes na Gartmore Investment Management , em uma entrevista em Londres.

"Quantos bilhões de dólares de valor para o acionista foi destruído devido a falta de credibilidade e de comunicação?", disse.

As eleições presidenciais de outubro poderão levar o governo a colocar um preço elevado nas reservas para evitar uma "reação política", disse Leite.

Lula e Dilma Rousseff, candidata do PT, "terão dificuldades para justificar" um valor abaixo de US$ 30 bilhões, disseram os analistas da Eurasia Group liderados por Christopher Garman, em relatório de 23 de junho.

A oposição pode argumentar durante a campanha que é um "negócio de pai para filho" para a Petrobras e os investidores estrangeiros, disse.

A oferta pública e a permuta fazem parte dos planos para financiar o desenvolvimento de campos, incluindo o de Tupi, a "maior descoberta de petróleo nas Américas desde Cantarell do México em 1976".

A Petrobras pode ter de gastar mais de US$ 224 bilhões depois que o derramamento de BP no Golfo do México aumentou os prêmios de seguro e os custos de perfuração em águas profundas, Bueno Spinelli disse em uma entrevista por telefone de São Paulo em 8 de julho.

A preocupação de que os custos de perfuração de águas profundas cresçam está aumentando o custo da proteção contra um descumprimento de contrato por parte da Petrobras, o maior produtor de petróleo em águas abaixo de mil pés, em relação à Petróleos Mexicanos, que não tem produção em águas profundas.

ACIDENTE NA PERFURAÇÃO FAZ POÇO DESMORONAR NO PRÉ-SAL NA ÁREA DE LIBRA.

http://4.bp.blogspot.com/_FWH7cPzoDGY/StHyeX4vtpI/AAAAAAAACek/A57T8YmFlSY/s320/anp.jpg

Um acidente durante a perfuração na área de Libra, o segundo poço no pré-sal da União perfurado pela Petrobras para a Agência Nacional do Petróleo (ANP), levou ao abandono da área há cerca de 15 dias.

O poço está sendo perfurado no pré-sal não licitado da bacia de Santos.

O diretor-geral da ANP, Haroldo Lima, explicou que houve um "problema operacional corriqueiro", depois de atingida a camada de sal, antes de chegar ao reservatório.

"O sal começou a perder consistência e o poço desmoronou. Tiveram que fazer outro e o poço já foi retomado em outra região, dentro da mesma área", disse Lima.

O novo poço recebeu o nome 2ANP2ARJS e está sendo perfurado a uma distância de 375 metros do outro. A previsão é terminar a perfuração e a avaliação da área em novembro.

CAMPANHA VIRTUAL DE CARA NOVA.

Fotos: Internet/Reprodução


http://joseserra.psdb.org.br
A página oficial do candidato tucano à Presidência, José Serra, disponibilizou uma primeira leva de diretrizes a serem discutidas pelos internautas no programa de governo da campanha. O documento final com as propostas do PSDB para as eleições só ficará pronto em setembro. Até lá, os temas serão lançados na internet, com o intuito de construir um texto com a colaboração direta dos eleitores. As discussões iniciais abordam 16 temas, como cultura, o agronegócio, a acessibilidade e a gestão pública.


www.dilma13.com.br
A roupagem do site criado para o período de pré-campanha está diferente, e foram acrescentados canais específicos, direcionados para o pleito de outubro. Entre as novidades está a divulgação de material de campanha, com opção de download de arquivos como artes para camisetas, botons e papéis de parede para computadores.


www.minhamarina.org.br
Apesar da variedade de opções oferecidas pela internet, um tópico importantíssimo aprovado na minirreforma eleitoral de setembro do ano passado não está sendo utilizado ainda pelos candidatos: a arrecadação de dinheiro por meio de cartões de crédito ou transferência bancária via web. A página eletrônica de Marina Silva é a única que cita essa fonte de arrecadação, mas as operações ainda não estão disponíveis.