"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

abril 03, 2010

BICHINHA PALANQUEIRA EM MINAS?SEI NÃO!

http://jogodopoder.files.wordpress.com/2010/02/1002_chargeneo.jpg
Aqui em Minas Gerais,da mesma forma que no RS, a bichinha palanqueira vai ter que rebolar e mesmo assim não vai convencer, digo, enganar ninguém.

O "aecim" ao se desgrudar do manguaça, já recuperou o juizo e dá um "boas" vindas à corja petralha, sinalizando que o estado está atento aos projetos dos candidatos e não ao lero lero demagógico da "dependente" e papagaio de pirata do cachaça.

Juliana Cipriani/CorreioBraziliense

Em sua primeira viagem a São João del-Rei logo depois de ter deixado o cargo, o ex-governador Aécio Neves (PSDB), pré-candidato ao Senado, disse nessa sexta-feira que concorda com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) quando ele afirma que o candidato que quiser vencê-lo nesta eleição terá de “enfiar o pé no barro” e trabalhar mais do que ele .

Segundo Aécio, o PSDB tem condições de vencer o PT e mostrar ao eleitor que o partido é que foi o responsável pelo início das mudanças no país. “Acho que nós temos condições de mostrar que estamos na matriz dessas mudanças. Temos todos que melhorar o Brasil”.

Em relação à pré-candidata Dilma Rousseff (PT), que escolheu Minas para começar a campanha rumo ao Planalto, Aécio afirmou que não adianta a ex-ministra simplesmente vir ao estado. É preciso que ela apresente propostas concretas para os mineiros.

“Eu acho que, mais do que visitas, nós queremos propostas para Minas Gerais. O governador José Serra deve apresentar brevemente um conjunto de ações para Minas Gerais, que diz respeito a investimentos”, disse.

Aécio anunciou que vai ao lançamento da pré-candidatura de Serra, no dia 10. Na avaliação do ex-governador, o PSDB não entrou tarde na disputa pela Presidência, como criticam alguns aliados, principalmente do DEM.

“Acho que está no tempo. O tempo correto é este. Nós estamos a quase seis meses das eleições A partir do dia 10, acho que temos todas as condições de travar um bom debate e estou muito confiante na vitória”.
Mais : Aécio rebate Lula e provoca Dilma

DO COVIL MARANHENSE ...

http://1.bp.blogspot.com/_IRuCABjq8uk/SqjwiyRH7OI/AAAAAAAAA6o/GEnlDG7Cnz8/s400/sao_luis_03.jpg

Publique se for homem e jornalista”, começa o comentário enviado às 6:25 desta sexta-feira. Outro miliciano patrulhando a internet a serviço do stalinismo farofeiro, imaginei.

Já ia ordenando que caísse fora quando bati os olhos no nome do remetente: Ricardo Murad, secretário da Saúde do Maranhão por ser cunhado da governadora Roseana Sarney. Ele mesmo, o campeão do descaso e da inépcia envolvido na matança de crianças desvalidas.

Em paragens civilizadas, qualquer suspeito com a folha corrida de Ricardo Murad estaria agora em desabalada carreira, ou sentado no meio-fio chorando lágrimas de esguicho, ou homiziado em lugar incerto e não sabido. Mas estamos no Brasil ─ pior ainda, o estafeta da famiglia Sarney está no Maranhão. É compreensível que esteja em liberdade, esbravejando em mau português.

A forma e o conteúdo avisam aos gritos que o texto foi redigido depois de um almoço de matar a sede de presidente. Não há nenhuma acusação substantiva, só berreiro de cortiço. Mas é claro que publico.

Não para sublinhar reafirmações de masculinidade ─ Ricardo Murad sabe o suficiente para dispensar-se de qualquer dúvida a respeito do tema ─ e sim para oferecer ao Brasil que presta a contemplação do chilique de um crápula. Não perca:

Vermes como você, que escreve financiado pelo dinheiro sujo dos políticos a quem serve, deveria se envergonhar do que faz. Mas você é um desavergonhado. Faz isso por ofício. Você é um jornalista que aluga a pena. Escreve de mal ou de bem, para quem lhe paga, de mais ou de menos. Você é um covarde, venal, financiado e sem nenhuma credibilidade. O que lhe move é o dinheiro dos seus patrões.

Se você tivesse um pouco de vergonha e senso jornalístico deveria ter me ouvido a respeito das sandices que publicou de forma criminosa a meu respeito. Pelos menos iria ter um trabalho a menos de tê-lo de fazer na Justiça. Não posso lhe pedir para ter ética e vergonha, isso vem do berço.

O doutor em infanticídio cobra vergonha de gente honrada. O noviço nascido e acanalhado no Convento das Mercês se fantasia de carmelita descalça. A cria de Madre Superiora reinventa a santa inquisição a favor dos cafajestes. O colecionador de capitulações lucrativas acusa o vencedor de covarde.

O tenente da tropa de censores do Estadão exige respeito à ética. Sem formular qualquer denúncia objetiva, sem ir além do insulto barato, o prontuário ameaça recorrer à Justiça. É assim no Maranhão. Murad acha que é assim no país inteiro.

A certeza da impunidade o induz a acreditar que todas as ações judiciais movidas pela famiglia serão endossadas por algum daciovieira. Por ter escapado de licitações irregulares, crimes ambientais, delinquências variadas e, até agora, da morte das isabellas maranhenses, decidiu que não há juízes no Brasil.

Por ouvir apenas as louvações dos áulicos, não ouviu o choro e os gemidos das isabellas maranhenses. Por acreditar que está condenado à impunidade, não admite virar assunto da revista VEJA e entrar na alça de mira da coluna.

O irmão menos esperto de Jorge Murad sobressaltou-se ao ouvir a indignação do Brasil decente. Logo saberá que é só o começo. O fim do sono chegará com a sirene que anuncia a chegada do camburão.

Augusto Nunes : O chilique do crápula

PATRIOTA DISSE...



O canal de TV por assinatura exibe neste sábado, às nove e cinco da noite, hora de Brasília, entrevista exclusiva com o ex-ministro do exército e chefe do Doi-Codi, entre 1974 e 1977.

Ao repórter Geneton Moraes Neto, o general disse que, enquanto ele comandou o Doi Codi, não houve tortura. E revelou que o exército pagou a delatores para obter informações que levaram a morte e prisão de opositores do regime.

Patriota disse...

Salve 31 de março de 1964.

Uma data que nos enche de orgulho, por representar o poder de vigilância e de ação das nossas gloriosas FFAA, com total responsabilidade cívica e comprometimento pátrio.

Um dia para ser lembrado como a grande Vitória do Bem sobre o mal.

Um dia comemorado por Homens e Mulheres de bem, cidadãos e cidadãs de boa índole, livres brasileiros de todas as etnias, cores, raças, religiões e classes sociais.

Em torno do dia 31 de março, postam-se de mãos dadas, todos os brasileiros de Alma e Fé, que esperam em Deus uma saída digna para o Brasil, não importando a que custo se tenha que lograr a Vitória, mais uma vez a ser travada pelo Bem contra o mal.

O 31 de março é também uma data cruel, que jamais se apagará da mente dos anarquistas subversivos de ontem e de hoje. Uma data que humilha, envergonha e aniquila o moral dos desgraçados vencidos, a quem, pelas FFAA, como única oferta, fora concedido, tão somente, o direito à rendição.

Portanto, rejubilemo-nos no dia de hoje, e olhemos sempre para frente e para o alto, pois a História se nos oferece para ser consultada, e nela, poder-se-á conhecer que as nossas gloriosas FFAA jamais foram vencidas, pois souberam dar por cumpridas todas as missões que lhes foram impostas, em qualquer tempo e lugar, no Brasil e no exterior.

Neste 31 de março, oremos!

Elevemos o nosso pensamento e rendamos nossos sinceros agradecimentos àqueles que no cumprimento do dever, civis e militares, nos deram a liberdade, cedendo suas vidas à causa pátria, a maioria deles morrendo jovem para viver sempre.

Cada brasileiro, reconheça ou não, tem uma eterna dívida de gratidão para com o Exército Brasileiro, pela sua firme e acertada decisão de sair às ruas naquele 31 de março de 1964, e mostrar aos comunas, ao país e ao mundo, o poder de sua estatura moral, deixando-lhes o recado de que o silêncio faz parte da estratégia e que há sempre o momento certo para agir, até mesmo para a tomada das mais complexas decisões.

Neste dia 31 de março, reflitamos!

Mudemos nossa forma de encarar o problema.

Rechacemos todo e qualquer pensamento de dúvida, de descrença e de desesperança.

Policiemos nossas mentes para enxergarmos o Brasil liberto, uno e soberano, definitivamente desinfectado da escória narco-comuna.

Incondicionalmente, confiemos!

Entendamos que nenhum exército do planeta, sai às ruas comunicando o que pensa, muito menos qual a sua intenção e suas ações futuras.

Acreditemos em Deus, acima de tudo!

Acreditemos na Vitória Universal do Bem sobre o mal.

Acreditemos no Exército de Caxias.

Acreditemos que o dia 31 de março de 1964 foi o prenúncio pacífico de uma grandiosa e definitiva ação corretiva, que a passos largos se aproxima do presente, desta vez mais desejada do que nunca pelo povo, manifestada fora das ruas e sem passeatas, sim, mas concentrando-se nos corações e mentes dos Brasileiros e Brasileiras de Boa Vontade, pelo Brasil a fora, que, ansiosos, aguardam por uma convocação, no momento oportuno.

O Exército Brasileiro é o grande líder na paz e na guerra, e tem muito mais seguidores do que se imagina!!!

Assim se verá!

Salve o 31 de março de 1964.

Salve as FFAA do Brasil.

Salve o Povo Brasileiro.