"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

junho 08, 2012

SEM CACHAÇA E CONTRA ARROUBOS DESPÓTICOS : 'Não vou me submeter a um ato de força'

http://3.bp.blogspot.com/-xvSAbw7WPyY/T89Sq1kkEhI/AAAAAAAAASo/9ne3lbon0Gc/s1600/get_img.jpg
Recebido pela militância em meio a palavras de ordem como "Oi, Lula, decepção, em Recife você não manda não" ou "Golpe é covardia, respeita a democracia", o prefeito João da Costa desembarcou no Aeroporto dos Guararapes disposto a enfrentar a Executiva Nacional do PT, que na terça-feira decidiu indicar o senador Humberto Costa para disputar a sucessão municipal.

Ele anunciou que faz reunião hoje com seu grupo político, para decidir a melhor forma de continuar lutando pela reeleição. Eufórico com a festa preparada pela militância, o petista só falou com a imprensa depois de cumprimentar os seguidores que o aguardavam e elogiou o calor da militância:

- É bom voltar ao Recife e saber que os companheiros que fizeram comigo esta luta, a luta pelo direito de ser candidato à reeleição, continuam ativos, alegres e conscientes de que lutaram e conquistaram uma vitória política.

Costa venceu as prévias do partido contra o deputado Maurício Rands, mas a primária foi anulada pela Executiva Nacional do PT. No entanto, apesar de alijado da disputa pela direção do partido, o prefeito diz que não vai desistir.

- Depois do resultado da reunião da Executiva Nacional, eu não tive nenhum convencimento político para o ato que foi tomado. Vou conversar com meus companheiros, que fizeram campanha comigo, para a gente definir uma posição com relação a essa questão - disse Costa, que completou: - Quando não há argumento político que me convença, eu não vou me submeter a um ato de força, apenas para que eu declare apoio sem o convencimento. Vou conversar com a militância, que está indignada e quer respeito à sua participação nas prévias e à democracia do partido.

No mesmo momento em que ele desembarcava, o senador Humberto Costa (PT-PE), indicado pela Executiva Nacional para disputar a sucessão, dava entrevista à imprensa local. Humberto é da corrente Construindo um Novo Brasil, a CNB, que é majoritária em Pernambuco e na representação nacional do PT.

No Aeroporto, o presidente do Diretório Municipal, Oscar Barreto, acusou a direção nacional do PT de "enrolar o processo do Recife":

- Não há razão política nem administrativa para se cassar a candidatura. Vamos enfrentar essa decisão arbitrária.

Ex-presidente do Diretório Estadual, Jorge Peres dava o tom do grupo:

- A disputa ainda não acabou. A luta vai continuar. Vamos defender o direito de escolha. A vontade da base é João da Costa e as prévias mostraram isso. A intervenção da Executiva Nacional abre uma um precedente perigoso. Ou seja, quem não concorda com a derrota recorre ao diretório e pede a indicação de outro candidato. A gente defende uma segunda prévia, agora entre João da Costa e Humberto.

Na noite de anteontem, o deputado Fernando Ferro (PT-PE) classificou a decisão da Executiva Nacional do partido de "estupro" e "violência", e disse que, se preciso, o grupo liderado pelo prefeito pode até apelar à Justiça contra o que considera ser "uma aberração".

Letícia Lins O Globo

Nenhum comentário: