"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

maio 01, 2010

UM EBRIOSO, INTENSÃO x INTENÇÃO, A ECONOMIA , RESULTADO?

http://3.bp.blogspot.com/_l91O0mjEoVE/RlbK4nusc1I/AAAAAAAAAxs/7vXwmqZPIKQ/s400/lula_caricatura.jpg

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, na noite desta sexta-feira (30), que não deixará que as eleições presidenciais influenciem o rumo dos juros e do controle da economia.

Ele participou, em São Paulo, da cerimônia de posse do novo presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Cledorvino Belini, que passa a ocupar o cargo deixado por Jackson Schneider.

"Nós atingimos um grau de maturidade em que a gente não pode, por conta de uma eleição, afrouxar o controle da economia e deixar a coisa desandar, senão não controla mais", disse o presidente sobre a elevação da taxa de juros anunciada na quarta-feira (28) pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

"Não há eleição que me faça jogar fora o que nós acumulamos nesse período."

O presidente ressaltou que manter a inflação controlada é prioridade da política monetária do governo.

( E a dele, uma questão de honra, eleger a sucessora, como já foi dito pelo cujo em outras oportunidades. A questão é : a "honra" dele ou a política monetária? qual é a que mais pesa? Nós sabemos qual, não é mesmo? )

"Quem tiver que ganhar as eleições vai ganhar e vai receber um país arrumado",disse o presidente, que apoia Dilma Roussef (PT).

Antagonismo' com montadoras

Lula também relembrou sua relação de "antagonismo" com as montadoras na época em que era presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, há três décadas. "Naquela época eu não seria nem convidado para a posse", brincou o presidente.

Nenhum comentário: