"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

abril 12, 2013

SEM O "MARQUETINGUE" DOS FARSANTES E CANALHAS - BRASIL REAL : Inflação do idoso é maior que a da população em geral, aponta FGV


http://4.bp.blogspot.com/-va_tFffJQ-U/UGIM6GGuJfI/AAAAAAAAKbs/ml1T_oBhu4w/s1600/1348582583idoso-300x225.jpg

A inflação para idosos está maior que a da população em geral, aponta índice divulgado nesta sexta-feira pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

O IPC-3i (Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade) subiu 1,82% no primeiro trimestre de 2013 e acumula alta de 6,34% de alta em 12 meses. Já o IPC-BR (Índice de Preços ao Consumidor - Brasil), também divulgado pela instituição e que considera a inflação geral, aponta alta de 6,16% no mesmo período.

O IPCA, índice oficial da inflação divulgado pelo IBGE, ficou em 0,47% em março e atingiu 6,59% no acumulado dos últimos 12 meses, estourando o teto de 6,5% da meta do governo para 2013.

O acréscimo de 0,23 ponto percentual na taxa verificada pela FGV entre o último trimestre de 2012 e o primeiro deste ano decorre principalmente do grupo alimentação, que passou de 2,13% para 6,52% no período. 
O mesmo ocorreu com o IPCA.

A alta foi puxada principalmente pelas hortaliças e legumes, cuja taxa passou de queda de 13,02% para alta de 46,67%.

Outro componente do índice que pesou para o aumento foi o grupo despesas diversas, que saltou de 1,66% para 4,9%, 
influenciado pela alta de 3,89% para 11,11% do preço dos cigarros.

Transportes (de 1,03% para 1,47%), 
comunicação (de 0,38% para 0,79%) 
e saúde e cuidados pessoais (de 1,36% para 1,5%) também subiram.

A queda do índice para a tarifa de eletricidade residencial (de 2,51% para -17,74%) ajudou o componente habitação a ter redução de 1,49% para 0,74%. Os grupos vestuário (de 2,47% para 0,67%) e educação, leitura e recreação (de 3,39% para 2,45%) também apresentaram redução da inflação. 

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS 

Nenhum comentário: