"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

abril 19, 2013

A INFLAÇÃO É UMA CONQUISTA "DUS GUVERNUS" DO CACHACEIRO PARLAPATÃO E DA GERENTONA QUEBRA 199 : IPCA-15 acelera em abril e supera em 12 meses teto da meta

http://3.bp.blogspot.com/-mQpP3tIRJts/UW0hykNTY5I/AAAAAAAASgc/dROZJq2r9K4/s1600/cpPT10MINAS3.jpg
A inflação brasileira acelerou o passo em abril, com nível elevado de disseminação da alta dos preços e afetada pelos alimentos e gastos com habitação, em mais um sinal de resistência da inflação em patamar elevado apesar das medidas adotadas pelo governo para segurar os preços.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,51 por cento em abril, ante alta de 0,49 por cento em março, acumulando em 12 meses 6,51 por cento, informou nesta sexta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com o resultado de abril, a prévia da inflação oficial superou o teto da meta do governo, de 6,50 por cento pelo IPCA, e ficou acima dos 12 meses imediatamente anteriores (6,43 por cento).

O IPCA, referência para a meta de inflação, já havia superado o teto em março, ao acumular alta de 6,59 por cento em 12 meses.

"O quadro não mostra sinal de arrefecimento (do preços)", resumiu o economista-chefe da SulAmérica Investimentos, Newton Rosa. Ele destacou que, embora a difusão tenha passado de 70 por cento nos últimos meses para 68 por cento em abril, "mostra um patamar elevado de disseminação da alta e um quadro de resistência da inflação".

O resultado mensal de abril do IPCA-15 igualou a projeção mais alta em pesquisa realizada pela Reuters, que apontou expectativa de alta de 0,46 por cento segundo a mediana de 26 analistas. As projeções variaram de 0,42 a 0,51 por cento.

Apesar da aceleração da inflação, os juros futuros continuaram caindo nesta sexta-feira, dando continuidade ao movimento iniciado na véspera, por conta da sinalização do BC de que o aperto monetário pode ser menor do que o esperado.

Camila Moreira
(Reuters)

Nenhum comentário: