"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

março 18, 2013

brasil maravilha da GERENTONA FALSÁRIA(QUEBRA 1,99) : Inflação semanal sobe para 0,63% na segunda prévia de março

http://2.bp.blogspot.com/-7kOVzmZOt-s/URGfBW77HtI/AAAAAAAAOAU/qJzgJBuZijs/s400/gerentona.jpg
Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 0,63% na segunda prévia de março. Essa variação é 0,11 ponto percentual maior do que a anterior (0,52%).

Dois dos oito grupos pesquisados apresentaram acréscimos:
habitação (de -0,58% para 0,04%),
com influência da tarifa de eletricidade residencial (-9,95% para -4,99%),
e vestuário (de -0,06% para 0,51%),
com os preços mais elevados da nova coleção outono/inverno cujas peças de roupas estão 0,58% mais caras ante um recuo de 0,18%.

O grupo alimentação teve alta de 1,39%, a mesma elevação da primeira prévia do mês. Essa estabilidade foi motivada pelos movimentos opostos nos preços dos produtos. Enquanto as frutas ficaram 2,2% mais caras ante uma oscilação de 0,04%, os preços das carnes bovinas caíram 1,44% ante uma diminuição de 1,1%.

Nos demais grupos, os índices indicaram elevações, porém com menos intensidade em relação à pesquisa anterior:
transportes (de 1,02% para 0,78%),
com destaque para a gasolina (de 3,89% para 2,88%);
educação, leitura e recreação (de 0,48% para 0,31%),
como reflexo da passagem aérea (de -1,51% para -3,83%);
saúde e cuidados pessoais (de 0,58% para 0,53%),
influenciada pelos artigos de higiene e cuidado pessoal (de 0,89% para 0,62%); comunicação (de 0,5% para 0,4%),
sob o efeito da tarifa de telefone residencial (de 1,25% para 0,95%)
e despesas diversas (de 0,39% para 0,26%),
com acomodação de preços dos cigarros (de 0,2% para 0,07%).

Os itens que mais contribuíram para que a inflação ganhasse força foram: gasolina (de 3,89% para 2,88%); refeições em bares e restaurantes (de 1,25% para 0,93%); tomate (de 9,97% para 9,31%); empregada doméstica mensalista (de 1,56% para 1,35%) e aluguel residencial (de 0,65% para 0,68%).
Agência Brasil

Nenhum comentário: