"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

março 05, 2010

FINANCIAMENTOS COPA 2014 - VAI SER "MARA"

http://1.bp.blogspot.com/_9EvlOEMASoY/SGJK6MUs_0I/AAAAAAAAAGw/lo64O2a9WS4/S760/homer_marinho.jpg

LARISSA GUIMARÃES
da Folha de S.Paulo, em Brasília

Essa combinação de obra, financiamento, verba pública, com carimbo de urgência e num momento pré eleitoral, é um convite aos desvios da finalidade.

Não há dúvida que muito dinheiro vá seguir os caminhos do "caixa" (e não contabilizado) de partidos e sustentar campanha de candidatos.

Os financiamentos de campanha com certeza serão priorizados, pois a irresponsabilidade mais a impunidade reinante neste país, da´suporte a todo o tipo de irregularidades, a dinheirama à disposição de prefeituras vai ser uma festa, primeiro os interesses partidários e futuramente dá-se um jeito no que ficou por fazer.( Infelizmente, é assim no Brasil)

Uma bomba relógio em fase final de montagem :

O governo cobrou ontem das das 12 cidades-sedes da Copa-2014 que adiantem suas obras, pois a lei eleitoral proíbe contratações e assinatura de convênios a partir do dia 3 de julho.

O alerta foi dado pelo ministro do Esporte, Orlando Silva Jr., durante a primeira grande reunião entre todas as cidades-sedes da Copa, em Brasília.

No mês passado, o ministro já havia apontado que o cronograma de obras do Mundial merecia "sinal amarelo", pois só parte das cidades-sedes havia começado, timidamente, a dar algum andamento às reformas e construções de estádios.

Na semana passada, a Fifa fez duros ataques sobre o atraso nas obras dos estádios brasileiros para o Mundial de 2014.

"Temos uma data fatal para assinaturas de contratos e convênios, de modo que seja possível o repasse de recursos para as obras de infraestrutura de 2014. Quem não contratar até lá só poderá contratar em 2011", declarou Silva.

Continua : Copa-2014

Nenhum comentário: