"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

maio 23, 2013

É SÓ A PORCA TORCER O RABO QUE LÁ VEM O "nuncaanteznaistoriadeztepaiz", OU, A EXPECTATIVA X REALIDADE : 'É a maior descoberta de petróleo da história do Brasil', diz ANP

http://3.bp.blogspot.com/-vvYipSPpakk/TnUoAU8KW4I/AAAAAAAAAD8/upOb1lmVz5k/s640/Expectativa+copy.jpg
O prospecto de Libra, escolhido para abrir a licitação do pré-sal em outubro, é a maior descoberta de petróleo na história do país. A frase é de Magda Chambriard, diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis(ANP).

O volume esperado para o campo, localizado na Bacia de Santos, é entre 26 e 42 bilhões de barris por dia, com um volume recuperável de 30%, algo em torno de 8 a 12 bilhões de barris por dia.

Apesar da cautela sobre a data do edital de licitação, Magda estimou que a divulgação do edital deve sair em 15 dias. De quebra, adiantou que a licitação ocorrerá em Brasília. 'É para facilitar a agenda presidencial', explicou a diretora.

A área do prospecto é de 1500 km2 e a Petrobras terá uma participação de 30% na licitação, ficando o consórcio vencedor com os outros 70%. Para ter direito à sua parte, a estatal terá de pagar a oferta vencedora.

Se a estatal quiser uma participação maior nos lucros do novo campo, Magda foi incisiva quanto às ações que devem ser tomadas:

" A Petrobras, se quiser uma participação maior, terá de entrar em um dos consórcios", finalizou, comparando Libra a cinco Campos de Marlin, em termos de produção. "É um momento grandioso, e o país tem que aproveitá-lo", festejou.

Outra, só daqui a dois anos

Diante do tamanho da descoberta desta semana, a diretora-geral da ANP deixou claro que não haverá licitações de áreas do pré-sal com tanta frequência. Segundo Magda, será “no mínimo em 2015”, estimando assim que haverá uma espera de dois anos para a próxima licitação.

Antecipação

O Diário Oficial da União publica nesta quinta-feira a portaria do Conselho Nacional de Política Energética que autoriza a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a promover, em outubro, a primeira rodada de licitações sob o regime de partilha de produção na área do pré-sal. "Não poderíamos esperar até novembro", brincou a diretora-geral da ANP, Magda Chambriand, visivelmente animada com a descoberta.

Com isso, o governo antecipou o leilão para um mês antes do previsto.Segundo a portaria, será ofertada, exclusivamente, a área do 'prospecto' de Libra, que se localiza na Bacia de Santos e foi descoberta pelo poço 2-ANP-0002A-RJS.

O poço Libra situa-se a 183 km da costa do Rio de Janeiro, em lâmina d´água de 1.964 metros. A região tem até cerca de 15 bilhões de barris de petróleo recuperável, segundo a ANP.

Na semana passada, durante a 11ª Rodada de Licitações da ANP, foram leiloadas 142 áreas de exploração para 30 empresas de 12 países diferentes, por R$ 2,82 bilhões.Por causa da antecipação da rodada de licitações do pré-sal, o leilão do Gás em Terra está marcado para novembro.

Qualificação

Segundo a diretora-geral da ANP, "a qualificação das empresas que farão parte do consórcio vencedor é de gente grande". De acordo com Magda, a expectativa é que grandes empresas japonesas e chinesas venham com força para o prospecto que, segundo dados do mês de maio e reproduzidos por Magda, poderia representar 2/3 da reserva aprovada de petróleo do Brasil.

"O consumo de 2012 no Brasil de barris de petróleo foi de 800 milhões de barris. Essa estimativa de produção faz com que o prospecto possa vir a produzir, sozinho, 12 vezes o que foi produzido no ano todo em todo o Brasil", exemplificou a diretora da ANP.

Meio ambiente

A preocupação ambiental para a exploração do petróleo nas camadas do pré-sal é grande. A própria ANP diz se preocupar muito com o assunto:
"Temos dois pontos a respeito disso. O primeiro é que estamos garantindo a segurança operacional da exploração e da produção. Segundo, o Ibama é nosso parceiro em toda essa questão das áreas de exploração, então submetemos essa área ao meio ambiente: essa área está apta ambientalmente a receber este prospecto de forma segura", frisou Magda Chambriand, diretora-geral da ANP.

Jornal do Brasil
Henrique de Almeida
 

Nenhum comentário: