"Um povo livre sabe que é responsável pelos atos do seu governo. A vida pública de uma nação não é um simples espelho do povo. Deve ser o fórum de sua autoeducação política. Um povo que pretenda ser livre não pode jamais permanecer complacente face a erros e falhas. Impõe-se a recíproca autoeducação de governantes e governados. Em meio a todas as mudanças, mantém-se uma constante: a obrigação de criar e conservar uma vida penetrada de liberdade política."

Karl Jaspers

abril 27, 2013

ENQUANTO ISSO... NU GUVERNU DA GERENTONA/FALSÁRIA 1,99 BICHINHA PALANQUEIRA : Número de empresas em crise que pedem proteção da Justiça bate recorde


http://2.bp.blogspot.com/_-diNeG6nlxU/TQj9sLDmiYI/AAAAAAAAA6w/te8ls4NkdCw/s1600/sponholz1941.jpg

O número de pedidos de recuperação judicial disparou no primeiro trimestre e levanta dúvidas sobre a velocidade de retomada da economia brasileira em 2013. 

Segundo dados compilados pela Serasa Experian, foram 247 pedidos entre janeiro e março, quantidade recorde desde que a nova Lei de Falências entrou em vigor no País, em meados de 2005.

"É um momento pior que o de 2009, quando as empresas brasileiras sofreram os efeitos da crise internacional", disse o advogado Fernando De Luizi, sócio de um dos maiores escritórios do Brasil nessa área. 

"Nós entramos com 27 pedidos até hoje (ontem), mais que o dobro se compararmos com o mesmo período do ano passado."

A recuperação é um expediente ao qual uma empresa recorre quando sua situação financeira chegou a um limite crítico. Caso seja deferida pela Justiça, significa, entre outras coisas, que a companhia em questão tem suspensas suas obrigações vencidas ou a vencer até a aprovação de um plano de recuperação por parte de seus credores.

De Luizi e outros especialistas que acompanham o drama dessas empresas explicam quais as principais razões por trás dos pedidos: 
baixa demanda no mercado interno; 
dificuldade para tomar crédito nos bancos; 
fraqueza dos clientes internacionais, no caso de exportadores; 
e inflação alta, que aumenta os custos.

"Percebemos que os problemas enfrentados pelas empresas brasileiras no ano passado persistem, na contramão das expectativas", afirmou Carlos Henrique de Almeida, economista da Serasa Experian.

Ele faz a ressalva de que, em 2012, o principal fator que afetou a saúde financeira das empresas foi a alta da inadimplência. Neste ano, observa, esse item pesa menos, pois os indicadores vêm apontando melhora nos calotes (como ontem mesmo mostraram dados divulgados pelo Banco Central).

No entanto, um banqueiro consultado pelo Estado relativiza essa melhora. "Na realidade, a inadimplência só vem caindo, e, mesmo assim, lentamente, porque os bancos estão sendo muito mais cautelosos na concessão de empréstimos", disse, confirmando, portanto, a maior seletividade das instituições financeiras.

Segundo esse profissional, que dirige um dos maiores bancos do País, o cenário para as pequenas e médias empresas, em especial, é preocupante. 

 "É triste, mas estamos assistindo a um filme muito parecido ao de 2012", afirmou. "Estou certo de que vamos crescer mais do que o 0,9% do ano passado, mas não acredito que a alta do PIB chegue a 3%. Está mais para 2,5%."

De Luizi relatou à reportagem um exemplo real de maior seletividade no crédito. "O problema não é o custo, que realmente diminuiu, mas a exigência de garantias. Hoje, uma empresa consegue levantar entre R$ 20 milhões e R$ 25 milhões ao oferecer como garantia um imóvel de R$ 40 milhões. Há alguns anos, ela conseguia obter R$ 35 milhões", comentou.

A Boa Vista, que administra o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), nota que tanto o número de pedidos de recuperação judicial quanto de falências continuam elevados. 

"Mas nossa expectativa é de melhora ao longo do ano", disse o economista Flávio Calife.

Um comentário:

Berto pernambuco disse...

,,,A' conta-gotas o pai's chega a isso. Falta de aviso nao e'. No's Brasileiros nao teremos moral nenhuma de reclamar, depois que o PT bater o martelo,,, digo,,, A FOICE. Um alto oficial das nossas forcas armadas me disse que esperam o povo pedir pra agirem. Ele me garantiu que no ma'ximo 20 % deles tem alguma simpatia por esse governo, mas que na hora de pega-pra-capa', essa pequena minoria se unirao a maioria e derrubarao esse governo. Junto com as denu'cias deveremos cada um de no's puxarem o povo para outro contra-golpe. Devemos usar tudo que dispormos para acoitar o exercito, nem que seja um simples comenta'rio. Tenho dito a muito tempo que se nao pressionarmos o exercito, nao sairemos dessa (eu sei o que estou dizendo ). Devemos comecar a investigar e jogar na internet todos os podres que aparecerem da Dilma. Nao so' do tempo do terrorismo, esse ja' sabemos demais. Mas tambem, a partir da atuacao dela, no governo. Eu sei o que estou dizendo. Ela nao e' nenhuma santinha. Se a Dilma for investigada seriamente, a Rose se tornara' a madre Tereza de Calcuta'. Derrubando a Dilma nessa eleicao, o PT ficara' ane'mico,,, ai num piscar de olhos,o PT sera derrubado para sempre. E junto com isso, limparemos nosso territo'rio desses vermes travestidos de humanos.